As 3 maiores panes elétricas em aeronaves

/As 3 maiores panes elétricas em aeronaves

As 3 maiores panes elétricas em aeronaves

O primeiro vôo aéreo comercial registrado no mundo ocorreu no século XIX, no ano de 1914, ou seja, mais de um século atrás. A rota realizada pelo avião ligava duas cidades da Flórida – Tampa e São Petersburgo.

Desde então, o avião é considerado o meio de transporte mais seguro do mundo. Atualmente é mais provável uma pessoa morrer por conta de um ataque cardíaco do que devido a um acidente aéreo, essas são estatísticas da própria Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mesmo com esses números a favor, muitas pessoas têm medo de viajar em aeronaves.

Normalmente, quem tem esse tipo de receio se justifica devido à elevada fatalidade dos acidentes aéreos. São poucos os casos em que existem sobreviventes. Apesar de não ocorrerem com muita frequência, existem diversos motivos que podem levar à queda de um avião, desde de falhas mecânicas, até mesmo erros humanos.

É muito comum em casos de acidentes com aeronaves ouvir a justificativa de que houve uma pane elétrica. Mas o que seria isso, afinal e quais as razões desse problema? Uma pane elétrica é o resultado de um mau funcionamento de dispositivos elétricos do avião (ou de qualquer outro veículo), que ocorre normalmente por falta de manutenção da bateria; podendo ter início devido a uma pane no computador de bordo, falta de combustível, entre outros fatores que poderiam ser evitados com uma melhor manutenção.

Como existem diversas causas que podem iniciar uma pane elétrica numa aeronave ocasionando sua queda, os acidentes por essa razão são os mais diversos possíveis.
Quer saber quais são os três maiores acidentes causados por uma pane elétrica? Então continue lendo esse texto e descubra tudo sobre esse assunto.


1. Vôo Japan Airlines 123

O vôo da companhia aérea Japan Airlines, que partia de Tóquio com destino a Osaka, tinha a bordo da aeronave Boeing 747-SR46 524 passageiros. O acidente aéreo ocorreu no dia 12 de agosto de 1985 e tirou a vida de 520 pessoas.

Por conta de um reparo mal feito no avião em uma situação anterior, a parte traseira se soltou durante o vôo 123. O que desencadeou uma falha nos controles do veículo, visto que a parte perdida fornecia, entre outras coisas, eletricidade para os painéis de bordo.

Além da perda de várias partes do avião, a falta de energia no painel de controle impediu que os pilotos realizassem um pouso de emergência. Desde o início dos problemas até a colisão com uma montanha – o que resultou na queda da aeronave – o terror vivido pelos passageiros durou 30 minutos, tempo que usaram para escrever cartas de despedidas para amigos e parentes.

2. Vôo Turkish Airlines 981

Em 3 de março de 1974, o avião da empresa aérea Turkish Airlines decolou lotado de Istambul com destino a Londres. Após uma escala em Paris, a aeronave decolou às 11:30 da manhã e o acidente ocorreu por volta das 11:42. Devido à um defeito na parte elétrica do sistema de fechadura da porta do compartilhamento de carga, a mesma se abriu durante o vôo 981, causando uma descompressão explosiva. A aeronave caiu a mais de 800km/h sobre a floresta francesa de Ermenonville.

3. Vôo TWA 800

A rota realizada pela extinta Trans World Airlines ligava Nova Iorque a Paris. No ano de 1996, na noite de 17 de julho, a aeronave decolou com 230 pessoas a bordo, entre passageiros e tripulantes. O avião decolou às 20:02 do aeroporto JFK na cidade norte-americana e o último contato com a torre de controle foi às 20:31. Segundos após esse horário, uma outra aeronave relatou uma explosão bem à sua frente.

A explosão que levou à destruição do Boeing 747 ocorreu devido a uma pane elétrica. Por conta da pane, uma faísca foi gerada perto do tanque de combustível, causando a explosão da aeronave. Todas as pessoas a bordo morreram no que foi o pior terceiro acidente aéreo da história dos Estados Unidos.

O que achou desses acidentes? Aumentou ainda mais seu medo de andar de avião? Deixe o seu comentário e participe desse post.

By | 2018-05-22T13:51:06+00:00 May 21st, 2018|Uncategorized|0 Comments

Leave A Comment